Sismólogos alertam para risco de ‘Big One’ no Japão após terremoto de sábado

AFP

Sismólogos pediram no domingo ao Japão para que se mantenha alerta diante de um possível “Big One”, depois que um forte terremoto de magnitude 7,8 atingiu a costa do país e deixou uma dezena de feridos.

Os edifícios tremeram durante quase um minuto em Tóquio e áreas vizinhas na noite de sábado pelo terremoto que ocorreu em uma parte remota do Oceano Pacífico, a 874 quilômetros ao sul da capital, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

Segundo o USGS, o epicentro do terremoto foi a 676 quilômetros abaixo da superfície.

Doze pessoas ficaram feridas e nenhum morto foi registrado até o momento.

O terremoto de sábado foi o segundo em magnitude ocorrido em Tóquio dentro de uma semana, após o terremoto de segunda-feira, menos intenso mas também menos profundo.

Alguns especialistas advertem que os recentes terremotos e erupções vulcânicas podem ser sinais de que as áreas próximas do país estão entrando numa fase de mudanças na crosta terrestre.

“O Japão está em um estágio ativo agora”, disse à AFP Toshiyasu Nagao, diretor do Centro de Predição e Pesquisa de Terremotos da Universidade de Tokai.

“Devemos estar atentos sabendo que (…) um terremoto com uma magnitude suficiente para afetar nossa sociedade pode ocorrer a qualquer momento no futuro”, explicou.

O Japão está na junção de quatro placas tectônicas e abriga 20% dos terremotos mais poderosos que ocorrem a cada ano no mundo, embora geralmente não causem grandes danos, já que as regras para a construção de edifícios é bastante rigorosa.