Gangue chinesa em julgamento por sequestrar 27 vietnamitas e vendê-las como esposas na China

As vítimas, algumas já casadas ou ainda na faculdade, foram enganadas, drogadas e contrabandeadas pela fronteira, segundo depoimentos à corte.

Image © (Reprodução via http://www.vocativ.com) Gangue chinesa em julgamento por sequestrar 27 vietnamitas e vendê-las como esposas na China - May/2017

Gangue chinesa em julgamento por sequestrar 27 vietnamitas e vendê-las como esposas na China.

As vítimas, algumas já casadas ou ainda na faculdade, foram enganadas, drogadas e contrabandeadas pela fronteira, segundo depoimentos à corte.

Uma gangue, acusada de tráfico humano, estão tendo um julgamento público, no sudoeste da China, por sequestrar 27 mulheres do Vietnã e vendê-las como esposas no país, informou a mídia local.

O grupo de composto de 10 pessoas, chefiado por um homem de sobrenome Li, é acusado de comprar as vítimas e depois revendê-las a outros nas províncias de Guangdong, Hunan, Shandong e Hubei entre 2014 e 2016, de acordo com o promotor da província de Honghe, em Yunnan, Fronteira com o Vietnã.

Quatro outras pessoas foram acusadas de comprar as mulheres, tendo conhecimento de que foram raptadas.

As mulheres vietnamitas foram enganadas e até mesmo drogadas, quando foram trazidas para a China e revendidas várias vezes a estranhos como “esposas”, informou o portal provincial de notícias Yunnan.cn, citando o promotor.

Algumas das 27 vítimas já eram casadas no Vietnã ou aindaestudavam em universidades, disse.

A gangue comprou as mulheres entre 21.000 e 40.000 yuans (US $ 3.000 – US $ 5.800) e as vendeu por 33.000 a 100.000 yuans.

Os membros das gangues desempenharam papéis específicos no empreendimento ilegal – alguns ligados a traficantes no Vietnã ou negociados com intermediários, enquanto outros “comercializavam” e vendiam as mulheres localmente.

O tráfico de seres humanos do Vietnã para a China operava como uma “cadeia de fornecimento empresarial” completa, disse o promotor.

A audiência continua.

Embora punível com prisão perpétua ou até mesmo morte, o rapto de mulheres para serem forçadas a casar continua a ser um problema sério na China, especialmente em áreas rurais, onde há muito mais homens do que mulheres.

De 2011 a 2015, a polícia chinesa descobriu cerca de 15.000 casos, segundo dados oficiais.