Departamento de Estado norte-americano: ‘Trump não vai mais tolerar ameaças da Coreia do Norte a aliados’

Donald Trump não vai deixar a Coreia do Norte ameaçar aliados dos EUA, disse o Departamento de Estado dos EUA.

Image © (Secretária adjunta do Departamento de Estado dos Estados Unidos para Assuntos da Ásia Oriental e do Pacífico, Susan Thornton | Reprodução via http://english.cctv.com) Departamento de Estado norte-americano: 'Trump não vai mais tolerar ameaças da Coreia do Norte a aliados' - Apr/2017

Departamento de Estado norte-americano: ‘Trump não vai mais tolerar ameaças da Coreia do Norte a aliados’

Donald Trump não vai deixar a Coreia do Norte ameaçar aliados dos EUA, disse o Departamento de Estado dos EUA.

O presidente Donald Trump não permitirá que a Coreia do Norte ameace qualquer aliado dos Estados Unidos ou seus parceiros na região, disse Susan Thornton, secretária adjunta do Departamento de Estado dos Estados Unidos para Assuntos da Ásia Oriental e do Pacífico, em entrevista coletiva na segunda-feira.

“O Presidente [Trump] também deixou muito claro de que não aceitará que os Estados Unidos e seus aliados e parceiros na região estejam sob ameaça desse regime hostil e seus programas de mísseis e nucleares”, afirmou Thornton.

Na sexta (14), a mídia dos EUA disse que Trump poderia ordenar um ataque contra a Coreia do Norte no caso Pyongyang decidiu realizar outro teste de armas nucleares, enquanto o presidente pedia à China para pressionar seu vizinho a desistir de um programa nuclear.

Em resposta, o Estado-Maior das Forças Armadas da Coreia do Norte ameaçou lançar uma greve contra bases militares dos EUA no Japão e Coreia do Sul, bem como a residência presidencial em Seul em caso de agressão dos EUA. Um dia depois, o país de Kim Jong-un teria testado um míssil, mas o experimento falhou.

Sistema THAAD ainda em pauta

A secretária também comentou sobre o desenrolar da instalação do sistema anti-mísseis THAAD na península coreana e descartou a possibilidade de atrasar a instalação. A China e a Rússia mostraram, repetidamente, sua objeção ao THAAD, argumentando que seu verdadeiro objetivo era dissuadir os sistemas de armas estratégicas no interior chinês e nas regiões do Extremo Oriente russo.

“Não houve qualquer mudança e não houve qualquer coisa sobre o processo de tomada de decisão que indicaria qualquer mudança [na implantação do THAAD na Coreia do Sul]”, Thornton acrescentou. “Portanto, estamos no caminho certo para a implementação do THAAD”.

Os componentes do sistema THAAD começaram a chegar à Coreia do Sul, já que Seul queria que o sistema fosse implantado rapidamente em resposta à ameaça dos testes de mísseis balísticos dos vizinhos do norte.